O número de demandas judiciais relativas à saúde registrou um aumento de 130% em 10 anos, revelam dados publicados pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça). De acordo com o levantamento, os principais assuntos discutidos nos processos em primeira instância foram “Plano de Saúde” (34,05%) e “Seguro” (23,77%), que somaram mais da metade das ações.

Além do claro aumento da conscientização da população sobre seus direitos, isso demonstra que um dos problemas que mais envolvem a área atualmente é a impessoalidade estabelecida entre médicos e pacientes, ou seja, a falta de humanização. Essa e outras orientações são oferecidas pela assessoria de um escritório de advocacia especializado em Direito Médico, como o GCBA.

Tais medidas básicas de relacionamento entre hospital/médico e paciente são abordados nas palestras de educação continuada, que – embora sejam frequentemente subestimadas – têm como objetivo informar os profissionais qual a melhor maneira para prevenir e defender-se contra ações indenizatórias de erro médico.

A principal orientação do escritório GCBA, especializado em Direito Médico, é que médicos e hospitais busquem informações sobre a defesa em casos de ação indenizatória antes que estas aconteçam, de modo a estarem preparados e amparados para tais situações.

Assim, em conjunto com os profissionais da área da saúde, o escritório elabora contratos e prontuários de modo a resguardar a entidade médica. Dessa forma, oferece amparo em qualquer atividade que tenha reflexo jurídico.

Na área do Direito Médico, o escritório GCBA proporciona não apenas a visão jurídica, mas também a visão médica – desempenhada por um profissional PhD em medicina. Com isso, orienta a conduta médica nas esferas civil e de ética disciplinar, advogando em favor de médicos e hospitais há 25 anos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.